O Controle e o Medo

        Muitas vezes tomamos as pessoas controladoras como se elas fossem más e perversas, mas não é bem assim.
        Nós mesmos, às vezes, tentamos controlar tudo e nossa intenção não é ofender nem incomodar ninguém, apenas não nos damos conta de que nem tudo está em nossas mãos e que em certas situações temos somente que ter paciência e entender que tudo tem seu tempo e que esse tempo nem sempre é o nosso tempo.
        Não se vive sozinho, dependemos uns dos outros querendo ou não, é assim que é.
        O fato é que determinadas situações são verdadeiros testes para todos nós. E é aí que o bicho pega, pois com medo, não paramos e observamos os fatos atentamente, discernindo se algo está ou não ao nosso alcance, se o que devemos é esperar, se devemos aceitar as consequências do imponderável sem temer perdas, sejam elas materiais ou não.
        Nesse momento é que entramos em choque com as pessoas nos esforçando para que elas se comportem da maneira que seja menos desgastante para nós, tentando encaixá-las no quadro que pintamos em nossas mentes, tentando desesperadamente fazer com que as coisas aconteçam como desejamos, e tudo isso apenas por temermos as perdas.
        Sem dúvida é muito difícil lidar com o apego, mas isso a gente deixa para falar outra hora.
        O medo é um sentimento que nos acompanha desde o nascimento até a morte. É a primeira coisa que experimentamos ao perceber que nosso tempo na barriga de nossas mães já era. E é também a última coisa que sentimos quando percebemos que o nosso tempo aqui nesse mundo está por terminar e que teremos de deixar a nossa querida vida para trás.
        Agora, a pergunta que não quer calar: como podemos superar o medo?
        É uma boa pergunta.
        Eu penso que nós não superamos o medo, até porque ele é útil para a nossa sobrevivência, faz parte da nossa natureza, mas podemos aprender a lidar com ele.
        Todos nós sentimos medo ao mesmo tempo que buscamos algum conforto e bem-estar. Então, eu penso que no meio disso tudo se nós descobrirmos a felicidade estaremos mais aptos a lidar com o medo que sentimos, pois pessoas felizes são menos apegadas, menos controladoras, mais resilientes e menos medrosas.
        Faz você pensar, não é mesmo?
        Então, pare por um momento e pense até que ponto você tenta controlar as coisas, se isso é um costume, se é demais. Converse com seus parentes ou amigos e, numa boa, pergunte qual a visão que eles têm a seu respeito sobre esse aspecto. Será que você é controlador? Será que você é medroso demais? Será que você é feliz?
        Fica a dica, superar o medo para ser feliz, porque felicidade é aqui e agora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Autoconhecimento Vs. Autoimagem

Um Choque de Realidade

Seja Otimista