Nunca Subestime o Seu Papel


    
    Existe aquele tipo de pessoa que olha para a sua vida, olha para si e se lamenta por não ser o que esperava, como se tivesse falhado enormemente a ponto de nem mais se dar o direito de sonhar, como se não valesse mais a pena.
Porém, o que observo é que, na verdade, esse tipo de pessoa não é necessariamente fracassada, mas sonhadora ao extremo, do tipo que idealiza a vida, assim como o seu papel nesta vida, sentindo-se sempre insatisfeita e infeliz, pelo simples fato da vida real não condizer com a fantasia criada por ela própria.
E o pior é que, muitas vezes, a considerada tão malfadada vida não tem nada de ruim, muito pelo contrário, na maioria das vezes a vida desse tipo de pessoa se apresenta cheia de oportunidades que ela acaba por desconsiderar na medida em que desenha para si um ideal de realização que nunca se concretiza.
Certa vez, tive um coachee assim, cheio de capacidade, com muitas habilidades, que não conseguia seguir adiante exatamente por esse motivo, mas numa de nossas conversas, sugeri que ele encarasse o seu papel nesta vida como um script recebido para atuar, não como coadjuvante, mas como o protagonista, o papel principal.
Agora, pense comigo, quando um astro do cinema é chamado para o papel principal, ele fica feliz e de modo algum ele descarta esse papel principal pelo fato do personagem ser um gerente de loja de departamentos ou um mecânico, por não ter nível superior ou por não ter status social, não, ele simplesmente encarna o papel de modo que ele represente ao máximo a intenção do roteirista, do diretor, tornando sua encenação o mais real possível, fazendo o melhor que pode, até porque, se for premiado, será por sua atuação e não pelo currículo do seu personagem.
Percebe como tudo muda de figura quando agarramos o nosso papel e encaramos a nossa vida com a dedicação e o respeito que ela merece?
Deus nos deu a oportunidade de desempenhar o papel principal em nossa vida, com a possibilidade até de alterar o roteiro em alguns momentos, mas cabe a cada um de nós fazer o melhor que pudermos sem entrar numa de comparar nossos scripts, pois o que valerá a pena no final é a nossa atuação ter sido digna da confiança em nós depositada, é ter atuado com boa vontade e humildade, com dedicação e ânimo.
Pode parecer bobagem, mas quando tomamos essa consciência, quando assumimos o protagonismo de nossas vidas, automaticamente ganhamos respeito de nós mesmos, o que acaba gerando um orgulho positivo para que possamos desempenhar da melhor forma o nosso papel sem nunca subestimá-lo.
Fica a dica, seja o protagonista da sua vida para ser feliz, porque felicidade é aqui e agora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre-se Das Aparências

Mudando o Foco

O Poder Da Renúncia