Devagar e Sempre

 
        Dia desses, estava conversando com uma amiga e ela comentara comigo que, por indicação médica, precisava urgentemente iniciar a prática de musculação, e que já havia se matriculado e aguardava apenas o exame médico da academia para que pudesse, então, começar a se exercitar quatro vezes por semana.
Confesso que me assustei, pois ela que nunca teve uma atividade física regular por anos, de repente se lançaria num projeto muito nobre, claro, pois todos sabem que qualquer atividade física faz bem a saúde, mas um pouco exagerado, talvez, pois todas as suas outras atividades regulares continuariam existindo e seria, então, necessário um período de adaptação à prática física, o que nem sempre é fácil e muitos desistem logo no início, pois o incômodo gerado pelas dores musculares, típicas do início de qualquer atividade física, desanimam qualquer um, além do fato de de repente ter um compromisso durante quase toda a semana, o que poderia trazer a ideia de uma obrigação desagradável em vez de um desafio pessoal para o próprio bem-estar. Além do fato, é claro, de que se tem de privilegiar algo na sua vida, não será algo que venha a trazer desconforto e incômodo.
Conversa vai, conversa vem, acabei sugerindo que ela fosse um pouco mais devagar, pois por experiência própria, até porque sou também instrutora de yoga, é bem normal ver que quando as pessoas decidem por uma prática física, parece que elas estão também decididas a compensar todos os anos de inércia e não é por aí que se consegue uma transformação da maneira de viver.
Primeiro que olhar para trás como se o tempo passado fosse um completo desperdício é algo que não gera nada de bom, apenas uma ânsia de se lamentar, o que não contribui em nada, senão para o sentimento de frustração.
Seja lá qual for o objetivo de cada um, o fato é que se começa pelo começo, ou seja, não adianta olhar para um horizonte distante, onde seu objetivo se apresenta como uma ideia pronta, que essa ideia irá se concretizar.
É preciso transformar esse ideal em pequenas ações e tarefas possíveis de serem realizadas, o que significa fazer aquilo que está ao seu alcance para que, assim, se sinta uma pessoa realizadora.
Percebe a diferença entre aquele que parte para o objetivo já com a sensação de mal-estar pelo tempo desperdiçado e que se impõe tarefas que muito dificilmente serão realizadas e aquele que sabe até onde as pernas alcançam e que tem as expectativas de acordo com a sua realidade de modo que fique fácil seguir em direção ao seu objetivo?
Se as expectativas forem demais é muito provável que venha a sentir-se frustrado, pois simplesmente não dará conta, mas se as expectativas forem adequadas a sua capacidade, cada pequena realização irá gerar um sentimento de missão cumprida que é fundamental para que aos poucos a pessoa se sinta cada vez mais capaz, feliz e estimulada a avançar em direção ao sucesso de sua meta.
Comece devagar e tenha sempre o ânimo para continuar. Seu objetivo pode não ser o de iniciar a prática de musculação, mas o mecanismo de recompensas do nosso cérebro é o mesmo.
Fica a dica, devagar e sempre para ser feliz, porque felicidade é aqui e agora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Autoconhecimento Vs. Autoimagem

Um Choque de Realidade

Seja Otimista