Olhos Para Ver e Ouvidos Para Ouvir

        O mais difícil na prática da meditação é vencer o incômodo de estar diante da realidade. Sim, realidade do nosso estado físico, mental, emocional, psicológico, seja lá o que for.
        A princípio, quando sentamos de pernas cruzadas e coluna ereta para meditar, tudo acontece, sentimos coceira no olho, dor nas costas, câimbras, cansaço mental, uma impaciência enorme, uma vontade imensa de sair correndo e esquecer de vez da ideia de se observar.
        Mas porque será que isso acontece? Será que se deve apenas a falta de familiaridade com a prática?
        Perguntas, perguntas e mais perguntas. Isso é sempre bom, nos faz buscar as respostas.
        Veja que a percepção daquilo que acontece pode desvendar uma série de questões antes ignoradas, por exemplo, sentir dor nas costas por estar sentado com a coluna ereta pode indicar que normalmente se é descuidado com a postura, o que acarreta uma série de problemas físicos que depois cobrarão seu preço. Sentir câimbras pode demonstrar que talvez os músculos não estejam alongados o suficiente ou estejam flácidos a ponto de não sustentar com facilidade a postura. E por aí vai.
        Logo de cara é possível constatar que são muitas as descobertas quando se decide observar.
        No caso da meditação o primeiro esforço que fazemos é o de superar o desconforto e incômodo do nosso corpo e quando conseguimos fazer isto, aprendemos uma outra coisa maravilhosa: Tudo passa.
        É verdade, se insistirmos e mantivermos nossa atenção em algo por um tempo, veremos que qualquer desconforto, até o pior deles passa. E assim se desenvolve a prática da meditação, com observação e superação até que o véu que encobre a realidade, a poeira em nossos olhos vai se dissipando.
        Mas o que eu quero dizer com isso é que, deixando a prática da meditação de lado, o mesmo acontece conosco no nosso dia a dia. Quando desejamos mudar de vida, alcançar um objetivo, vejam que mudar, alcançar sugerem um deslocamento, sendo assim, é preciso estar ciente do ponto em que se está para só então saber a direção de onde se quer chegar.
        Se quisermos ter sucesso, precisamos encarar a realidade de frente sem arranjar desculpas para não vermos o que está na nossa cara e não ouvirmos o que precisamos. É necessário que deixemos de lado o nosso prejulgamento, pois ele é a poeira em nossos olhos e o tampão em nossos ouvidos.
        Mudança requer esforço e mudança para melhor requer toda a atenção possível, ou seja, antes do sucesso devemos estar felizes por ter olhos para ver e ouvidos para ouvir, devemos ter a disposição, que só as pessoas felizes têm, pelo simples fato de terem a mente e o coração abertos, sem impedimentos para qualquer realização.
        Fica a dica, contemplar para ser feliz, porque felicidade é aqui e agora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Autoconhecimento Vs. Autoimagem

Um Choque de Realidade

Seja Otimista