O Sucesso Depende de Uma Boa Circulação

        A sua vida é arejada?
        Você tem desprendimento em relação às coisas materiais?
        Você sabe partilhar?
        Você se sente livre?
        Eu aposto que você concorda comigo que para muitas pessoas é muito difícil definir o que é felicidade. Principalmente quando não se tem claro que há uma diferença entre prazer e felicidade.
        Pois bem, eu vou dizer a minha definição de felicidade:
        A felicidade para mim é um estado em que temos a certeza de termos tudo de que precisamos. É um sentimento de plenitude que nos permite estar em harmonia conosco e com a vida, com o outro, independente das circunstâncias serem ou não favoráveis a nós. É um estado de total equilíbrio e liberdade, pois para mim só se é livre se for feliz. E essa sensação você experimenta quando não há mais a preocupação de ter ou fazer algo apenas para si, pois você já tem tudo o que precisa, então, você olha o outro, você se abre e está pronto para dar e fazer circular algo que não se pode acumular, não se pode possuir como uma coisa, senão deixar fluir.
        A filosofia budista coloca que nós não vemos o mundo com clareza, que é necessário conhecermos nossa mente para podermos discernir nossas emoções e sentimentos, e assim termos a capacidade de perceber o mundo e nossa existência com a clareza necessária, nos livrando aos poucos do apego e da aversão, que são a razão do nosso sofrimento.
        Sem dúvida é um processo lento, mas talvez o primeiro passo se dê com a interiorização, o silêncio, a observação sem julgamentos de si mesmo. E uma das maneiras de se conseguir essa experiência é através da observação da própria respiração.
        E é engraçado o quanto podemos aprender apenas com a simples observação. Então, eu proponho que você faça uma experiência: sente-se confortavelmente, pode ser no chão com as pernas cruzadas ou numa cadeira, tanto faz, desde que a sua coluna fique ereta. O queixo não deve estar nem para cima nem para baixo, a sua cabeça deve ser uma extensão da coluna. Apoie as mãos nos joelhos e simplesmente respire tranquilamente até que a sua respiração se acalme. Não se preocupe com o tempo que levará. Respeite o seu ritmo. Quando a sua respiração estiver calma, tranquila, inspire profundamente e retenha o ar nos pulmões pelo máximo tempo que puder, feito isso solte o ar e novamente vá respirando normalmente até que a sua respiração se acalme de novo. Agora, inspire e após a expiração (saída do ar), mantenha os pulmões vazios pelo maior tempo que puder, feito isso volte a respirar normalmente.
        Quando se observa a respiração se aprende muita coisa, uma delas é que temos um ritmo que varia de acordo com o nosso estado, e que podemos afetar esse ritmo através da própria respiração. Sabemos também que se retivermos o ar nos pulmões por muito tempo sentiremos um grande desconforto, uma agonia, um tremendo mal-estar. Ou, se ao contrário, mantivermos os pulmões vazios, sem ar por muito tempo, também sentiremos um mal-estar terrível, a mesma agonia e desconforto.
        Então, veja o que minha experiência pessoal, fruto das observações da minha própria respiração me fez entender: A felicidade é como o ar que respiramos, precisa circular!
        Não faz sentido perseguir a felicidade como se fosse algo a possuir. Essa tentativa nos fará perecer. Não é saudável, nem produtivo. Não se prospera tentando possuir a felicidade. E como é a felicidade que nos leva ao sucesso, este depende de uma boa circulação.
        Então, se o que você quer é bem-estar e sucesso pessoal, deixe fluir, esteja aberto para a vida, para o outro, não tente controlar tudo, não tente possuir tudo, apenas seja feliz.
        Fica a dica, deixar fluir para ser feliz, porque felicidade é aqui e agora.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre-se Das Aparências

Mudando o Foco

O Poder Da Renúncia