Os Três Cultivos - A Generosidade

    
    Segundo a visão de mundo budista, há três coisas que precisam ser cultivadas: a generosidade, a virtude e a prática da meditação.
Hoje falarei da primeira delas, a generosidade.
Afinal, o que é generosidade? O que acontece quando uma pessoa é verdadeiramente generosa? E por que a prática da generosidade é tão importante?
Em primeiro lugar é preciso ter em mente que a generosidade é a qualidade daquele que se sacrifica em benefício de outrem, através do exercício da bondade. Também tem a ver com abundância, fartura e, nesses termos, significa o oposto de mesquinhez e avareza.
A maneira mais simples de praticar a generosidade é doar algo material. Contribuir com dinheiro, com objetos materiais, que, sem dúvida, podem ajudar alguém, é a maneira mais fácil de ser generoso, uma vez que não há muito envolvimento pessoal e se pratica a bondade a uma certa distância, assim, nessa circunstância é muito comum que a pessoa esteja doando muito mais por si mesma do que pelo outro. Isto não é uma crítica, de forma alguma, mas é preciso entender que há passos a serem dados no caminho da generosidade. Há graus de dificuldade a serem vencidos, porque é muito fácil praticar algo em benefício próprio, mas quando envolve algum sacrifício, aí não é tão simples assim, doar algo que está sobrando e não fará falta alguma é uma coisa, mas privar-se em benefício do outro, principalmente quando o outro é um estranho completo, aí já é bem diferente. Mais difícil ainda é doar-se, é estar ali para o outro, abrir mão do seu tempo, dar o seu apoio emocional, seu incentivo, seu carinho, sua palavra, se expor e conter-se em julgar o outro por estar diante de tais circunstâncias.
Percebe o grau de dificuldade envolvido, percebe que a prática da generosidade é também um desafio? E por que, afinal, se deve praticar a generosidade?
Bom, pensando de um modo bem prático, quem gostaria de ter por perto, um avarento ou uma pessoa generosa? Com quem dividiria as responsabilidades do seu negócio, por exemplo, com alguém que segura o que tem e não se doa completamente ou com alguém que não mede esforços para que todos alcancem seus objetivos?
Também, segundo os budistas, o objetivo maior que alguém pode ter é romper os ciclos de renascimento e morte. Isto significa estar atento ao carma, ou seja, a sua real intenção, que o fará agir e lhe trará ou não os méritos para avançar até que entre na correnteza para o Nirvana, que é justamente o abandono desses ciclos ou samsara.
        Assim, se sua visão de mundo for maior do que esta vida material, independente da sua religião, verá que qualquer sacrifício, qualquer prática de bondade que se faça não será perdida e o conduzirá para algo melhor. É por isto que se deve praticar a generosidade, porque é bom e conduz à felicidade, ao sucesso, ao transcendente.
Fica a dica, seja generoso para ser feliz, porque felicidade é aqui e agora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Por Que Ser Diligente?

Quanto a Aparência Importa?