Anime-se!

        Atualmente, por diversos motivos, eu vejo muita gente desanimada e esperando o pior pela frente e confesso que não posso culpá-las, pois o cenário, realmente, não é dos mais favoráveis.
        Porém, da mesma forma que o que se experimenta hoje foi sendo traçado desde muito tempo, o que desejamos ver no futuro deve ser trabalhado a partir de já. Isso mesmo, já!
        Mas para que isso aconteça é preciso, em primeiro lugar, aceitar os fatos. E é claro, a realidade pode ser cruel, decepcionante, mas nunca inútil, ao contrário, encarar a realidade é o básico para que possamos mudá-la.
        Agora, é preciso paciência e atenção!
        Paciência porque da mesma forma que o que se vive hoje não aconteceu da noite para o dia, o que queremos ver realizado não se dará num estalar de dedos.
        Atenção porque é imprescindível reconhecer as falhas e evitar que elas se repitam, senão nada será diferente.
        Então, para ficar claro, vamos trazer essa ideia para mais perto. Imagine alguém num casamento ruim, quando tudo está errado e parece já impossível, se apenas se revoltar, se lamentar, tentando buscar um culpado e fugir sem realmente avaliar qual sua responsabilidade no processo, o máximo que irá conseguir é destruir de vez o relacionamento. Assim, mesmo que consiga sair disso, se o que quer é dar um fim nas coisas, não há certeza de que o próximo envolvimento seja diferente, porque todos os equívocos podem se repetir, até porque, se nada foi pensado sobre eles, se nada foi refletido em relação ao seu papel em tudo isso, se não identificou suas responsabilidades, é muito provável que tudo venha a se repetir, como num círculo vicioso. E por que optar pelo caminho mais fácil? Muito melhor reconstruir do que destruir.
        Difícil?
        Certamente, porque envolve sentimentos profundos, uma quebra da imagem que carrega de si mesmo e a vida parece não fazer muito sentido, pois já não se reconhece mais.
        Porém, com paciência, evitando fugir como um animalzinho assustado, observando os fatos sem se identificar com eles, até porque, o que aconteceu, aconteceu e isso não é quem é, é apenas os fatos. Assim, aos poucos, fazendo uma análise profunda, começa a ser possível identificar quais foram seus equívocos, onde exatamente não percebeu as coisas como elas eram de fato, em que momento se rendeu ao seu ego e preferiu se apegar a sua autoimagem em vez de lidar com a sua realidade.
        Sei que é muito mais fácil falar sobre isso do que agir assim quando se está no olho do furacão, mas a maioria dos nossos fracassos se dão por nossa impaciência e desatenção, além do medo que temos de perder, é claro.
        Porém, se quer muito uma coisa, liberte-a. Isso mesmo, desapegue! O desapego é fundamental para tornar o sofrimento opcional. Ou seja, todos temos alegrias e tristezas, perdas e ganhos ao longo da vida, mas o sofrimento, que turva a nossa visão de mundo, a percepção das coisas, deixa de exercer tamanha influência sobre nós quando desapegamos e passamos a dar atenção às verdades da vida, àquilo que se revela e se pode constatar na própria realidade.
        Libertador, não é mesmo!
        Então, seja qual for a sua dificuldade, sua insatisfação, anime-se, pois tudo está em constante transformação, até você mesmo, e nada é o fim do mundo! O que fez antes não resume quem é, porque pode agir de forma diferente e mudar tudo.
        Tudo pode ser diferente, só depende de nós!
        Comece agora mesmo a ver com atenção o que pode ser mudado e faça a sua parte sem se preocupar em olhar para um horizonte distante, tentando ver o que quer enxergar.
        O que quer está aqui mesmo se quiser abrir os olhos e estiver disposto a agir. E independente de um fracasso momentâneo, o futuro será um sucesso se focar no que precisa ser feito, agindo com paciência e atenção a cada dia.
        Fica a dica, tenha paciência e muita atenção para ser feliz, porque felicidade é aqui e agora.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Autoconhecimento Vs. Autoimagem

Um Choque de Realidade

Seja Otimista